1.081

20170202_114608

Minha história até esse post é longa e cheia de altos e baixos. Mas a alegria em escrever para vocês e contar que sim, eu estou grávida, invade o meu coração e me faz querer chorar só de começar a escrever.

Foram quatros longos anos até ver, finalmente, o beta positivo (o exame que confirma a gravidez –  o número que eu vi lá foi 1.081 –  por isso o nome desse post). Nem sei descrever o que sentimos na hora que vimos esse número. Um misto de alegria, alívio, medo, de sensação de conquista e vitória.

Quando você descobre problemas com fertilidade, para quem sempre sonhou em ser mãe, o mundo cai, despenca, e você se sente completamente sem rumo.

Nos dois últimos anos, em que efetivamente eu fiz tratamentos de fertilização in vitro, o que mais li e ouvi foram assuntos relacionados a: ovodoção, gametas, óvulos,  embrião, blastocistos, D1, D2, D3, D4, D5 e assim por diante até o D12, exames de sangue, hormônios, remédios, como aumentar o limite do cartão de crédito (gasta-se muito dinheiro) e tantos outros ligado ao universo dolorido e sombrio da infertilidade (sim, sombrio, porque quase ninguém fala sobre isso, ou quando se fala é sempre maneira muito superficial). Aliás, para quem quiser conhecer mais sobre o assunto e falar sem medo ou tabus aconselho conhecer a página do facebook do Dr. Julio Voget, ele é um dos poucos médicos que trata da infertilidade com naturalidade e simplicidade.

Durante os tratamentos a mulher se sente muito sozinha, e por mais que ela tenha o marido, família e amigos do lado é ela quem toma as injeções (picadinhas de amor como aprendi com o blog que tanto me ajudou o Maternidade Sonhada), que sofre com as reações dos medicamentos, que percebe as mudanças no corpo, que recebe as notícias – e acredite que as notícias, quando se faz um tratamento de fertilização, são quase diárias e podem mudar da noite para dia – que se sente culpada, que ouve os comentários (maldosos ou não) de “e aí, está demorando, né? Daqui a pouco vai ficar velha para engravidar” e que tem que administrar toda a ansiedade. Doí, doí muito, emocional e fisicamente.

Agora você deve estar se perguntando, porque ela está contanto toda essa parte difícil em um post que deveria (e é) só de alegria. Já te explico:

1º – Se você estiver passando por qualquer problema parecido e está precisando de alguém para conversar conte comigo, vocês tem meu e-mail e estou à disposição.

2º –  Mais uma vez, se estiver passando por isso, não se culpe até mesmo se estiver pensando em desistir. Essa é uma decisão sua e do seu parceiro. Meu conselho é não desistir, afinal, aqui está a minha história para te motivar, mas eu sei o quanto é difícil e vocês, o casal, não serão melhores e nem piores que ninguém por chegar ao limite (financeiro e emocional).

3º – Se infertilidade não fez parte do seu vocabulário, tente entender quem passa por isso e respeite. Cuidado com os comentários. Já falei sobre isso aqui no blog no O que não falar para a sua amiga que está com problemas para engravidar

4º – Problemas com fertilidade não é vergonha. Temos que falar mais sobre isso. Esse assunto precisa ser falado, discutido, conversado e esse universo precisa se tornar mais claro. Segundo estudos um a cada seis casais possuem dificuldades para engravidar. É muito mais comum do que se imagina, só não é falado.

Nesses quatro anos de espera eu recebi os diagnósticos de endometriose e baixa reserva ovariana o que vai gerar uma falência prematura dos ovários (sim, vou entrar na menopausa muito antes do que as mulheres comuns). Fiz, com um renomado médico, quatro fertilizações, todas sem sucesso e sendo que em três elas nem embrião conseguíamos  (ou seja, todo o tratamento era feito, mas na fase final “embrião morria” antes mesmo de ser implantado no meu útero), recebi desse mesmo profissional a indicação de ovodoação (quando a mulher não é mais capaz de produzir óvulos saudáveis e utiliza um óvulo de uma outra muher para gerar o bebê).

Ouvi, tantas e tantas vezes comentários como: “Será que  não é a hora de você desistir?” e “Você já gastou tanto com isso”.

Eu simplesmente não aceite o diagnóstico, ignorei os comentários e, depois de muito chorar, eu ainda sentia “aquele quentinho” no meu coração que me garantia que iria dar certo ( já falei sobre isso no post As muitas vezes que eu briguei com Deus). Foi então que recebi, por o acaso, o cartão do Dr. Julio Voget

Médico que me acolheu e me disse: “É possível”. Com ele foram dezenas de consultas, muito choro e milhares de vezes que eu disse que iria desistir. E ele sempre ali, me mostrando o caminhando e que era possível. Ele conduziu um tratamento muito mais suave (inclusive na quantidade de medicamentos) e personalizado, três punções (ou seja, três vezes em que fui retirar óvulos maduros e saudáveis) e na primeira implantação (quando o embrião é de fato colocado dentro do útero) eis que o Vicente cresce aqui dentro saudável e fazendo uma família inteira feliz e realizada.

Essa é a minha história de maternidade que apesar de ter apenas 16 semanas de realização tem mais de 208 semanas de muita luta e dedicação.

Hoje eu sou só gratidão!

Há, porque escolhemos o nome Vicente? O significado explica tudo!

 

vicente

Beijos Gi, a mamãe daquele que conquistou a vida!

26 thoughts on “1.081

  1. Gi, que alegria!!!! Bem-vindo, Vicente! O que importa é o amor! Lindos! Beijos mil!!!!

  2. Preciso disser se chorei……. A sua conquista é a nossa…. E como amamos o Vicente bjs

  3. Chora não irmã! Logo mais ele está aqui chorando na orelha da tia!!!! É muito amor envolvido!!!

  4. E que conquista né prima? E como amamos!!! Vai demorar muito para julho chegar????

  5. Uma felicidade enorme ler esse depoimento e mais que isso : uma lição que não devemos desistir, que nossa hora vai chegar. Vc me deu uma injeção de coragem amiga. A minha hora tb vai chegar. Eu acredito! Te amo, Gi! Te amo, Vicente! Bjs da Flábia

  6. Gi que lindo !!!É maravilhoso a maternidade você já é um exemplo de mãe !!!!E que venha o Vicente com muita saúde

  7. Parabéns pelo Vicente!!! Linda história de muito amor!!! Sejam felizes!!!

  8. Parabéns minha querida!!!! Coisa boa a maternidade é mágica em vários aspectos. Teremos mais um motivo para comemorar. Um grande viva para o Vicente
    Bjs

  9. Muito feliz por vocês, parabéns, Deus os abençoe, vem com tudo Vicente.

  10. Gi , vc não imagina minha felicidade em ler este post, acompanhei uma boa parte desta “saga” ….. trabalho diariamente com casais com dificuldades para engravidar e sei o quanto é difícil. Muito feliz pela vida do Vicente!

  11. Flor, obrigada pelo carinho e pelo amor! Eu sinto ele daqui! É isso aí, coragem sempre. Não é fácil, eu que o diga, mas é levantar, sacudir a poeira e ir em frente. Te amo também!

  12. Obrigada Pitombo, teremos mesmo mais um motivo para comemorar!! Obrigada!!!

  13. Prima, você mais que acompanhou, você me ajudou intensamente em tudo! Obrigada por tudo!

  14. Geovana Capovilla!!!
    Para tudooooo…
    Estou muito feliz por você e pelo Dani.
    Vai ser incrível !!! ❤️❤️❤️❤️
    Parabéns mamãe
    #maedemenino

    Bem vindo Vicente!!!!

    💋💋💋💋💋💋💋💋💋

  15. Amo muito!!!! mais que chocolate!
    ❤️❤️❤️❤️💙💙💙💙

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *